em Doenças Respiratórias

O nariz é responsável pela limpeza, umidificação e aquecimento do ar inspirado, para que este chegue em boas condições aos pulmões. As narinas possuem um complexo mecanismo de defesa e, assim, ao entrar em contato com algumas substâncias, como poeira, pólen ou quando ingerimos alguns alimentos, desencadeia uma série de respostas para impedir que esse ar chegue ao pulmão.

 

O que é rinite?

A rinite é uma inflamação crônica ou aguda, alérgica ou infecciosa da mucosa nasal. A rinite em geral é causada por exposição a fatores alergênicos que levam a uma resposta inflamatória exacerbada.

Os principais fatores que levam à rinite são:

  • ácaros
  • fungos
  • pólen
  • pelos de animais
  • alimentos

Mudanças ambientais, poluição, fumaça de cigarro, produtos de limpeza e construção também podem ser fatores para a rinite.

Entre as doenças respiratórias crônicas, a rinite alérgica é a de maior prevalência e pode prejudicar a qualidade de vida, o desempenho escolar, a produtividade no trabalho, e até mesmo o sono. Apesar de ser uma manifestação clínica comum na infância, a rinite também pode afetar adultos.

 

Quais os sintomas da rinite?

Os principais sintomas da rinite alérgica são:

  • espirros
  • rinorréia (nariz escorrendo)
  • obstrução nasal
  • coceira nasal
  • lacrimejamento.

 

O consumo de leite pode piorar os sintomas da rinite?

Não são só os ácaros, a poeira e a mudança de clima que entopem o nariz e desencadeiam o que parece ser um episódio de rinite alérgica. Em alguns casos, o que está por trás do nariz escorrendo e dos espirros é, na realidade, uma alergia alimentar. Cerca de 8% das manifestações de alergia alimentar são respiratórias.

O leite possui uma grande quantidade de macromoléculas de proteínas que conseguem atravessar a mucosa intestinal, resultando em um desequilíbrio na flora intestinal (disbiose). Com isso, o organismo começa a combatê-las, por serem “organismos estranhos” e há maior formação de muco, piorando assim os sintomas da rinite. O consumo de leite em si não causa a alergia, mas pode aumentar a produção de muco, agravando problemas respiratórios já existentes, como sinusite, asma e rinite alérgica.

 

Geralmente, os sintomas surgem nos primeiros contatos com o leite, quando a proteína do leite de vaca é reconhecida pelo nosso organismo como um corpo estranho e é combatida, provocando assim a alergia. Quem possui alergia à proteína do leite deve evitar sua ingestão. Os sintomas mais frequentes são cólicas, diarréias, problemas respiratórios, além de coceira nos olhos, nariz e pele.

É importante salientar que alergia à proteína do leite e intolerância à lactose são problemas distintos. A primeira provoca uma reação desmedida das defesas do corpo, enquanto a intolerância é uma dificuldade na digestão da lactose, açúcar presente no leite.

Até por isso, os transtornos da intolerância à lactose ficam mais restritos ao sistema gastrointestinal.

 

E se você tem crises frequentes de rinite, saiba que é possível ter uma melhora significativa dos sintomas depois de dois meses sem consumir nada de leite e derivados!

 

Ficou alguma duvida?

Aqui na Clínica Meitan contamos com uma equipe de nutricionista, médico de família, otorrinolaringologista e especialista em Medicina chinesa que podem te orientar!

Para agendar consulta, entre em contato pelo telefone (41)3044-1287 ou nos envie um Whatsapp (41)99147-1741.

 

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

alergias de primavera